sexta-feira, 29 de maio de 2009

O que as crianças liam antes de Harry Potter

O que não faltaram ao longo de todos esses anos foram bons livros infantis. Todavia não vejo a mesma atenção sendo dada aos livros em listas nostálgicas que permeiam a internet. É hora de reparar esse lapso. Obviamente o título deste post, tem apenas caráter dramático, pois não é verdade que esses livros não sejam mais lidos, apenas a sua época áurea passou.
Vamos relembrar e reverenciar os livros que formaram não só o meu cárater, mas o de milhões de pessoas.

Coleção Vaga-Lume

Em 1972 nascia a série Vaga-Lume da editora Ática. E embora a maioria dos livros tenham sido escritos durante a década de 70, o auge de popularidade da série ocorreu durante os anos 80 e 90. A coleção contava com grandes nomes da literatura infato-juvenil brasileira: Marcos Rey, Lúcia Machado de Almeida, Maria José Dupré, Orígenes Lessa e muitos outros.
Obviamente, a qualidade dos livros foi a grande responsável pelo seu estrondoso sucesso, mas acredito que alguns detalhes - que poderiam passar despercebidos aos olhos de um adulto, mas não aos de uma criança - ajudaram bastante a série a ser bem-sucedida.
Os livros possuíam um formato marcante que infelizmente foi descaracterizado com o tempo. Na contra-capa dos livros, o simpático e bizarro mascote da série sempre fazia as honras da casa apresentando a história do presente livro no formato de quadrinhos. Logo abaixo encontrava-se a lista dos livros da coleção encabeçada pelo desafio “Você conhece todos os livros da Série Vaga-Lume? Marque com um X os que você já leu.”. Na parte de trás do livro havia um quadro com várias capas da coleção. Essas duas últimas singularidades da série funcionaram como uma jogada de mestre. Divulgavam a coleção e incitavam seus leitores a conhecer as demais obras. As ilustrações no interior dos livros, separadas em média por uma distância de dez páginas, eram um alento e um prêmio para os incautos olhos infantis ainda não acostumados com leituras muito extensas.
Os livros ainda atendiam uma extensa faixa etária. Alguns títulos eram mais apropriados para crianças pequenas e outros, um pouco mais elaborados, atendiam um público um pouco mais velho.

O mascote-what-the-hell da coleção Vaga-Lume:
um garoto com antenas, asas, e uma lâmpada no rabo.
Modificações ao longo do tempo: calças boca-de-sino remendadas, sandálias, colares, argolas e cavanhaque nos anos 70. Aos poucos, porém, o estilo hippie foi abandonado e o Vaga-Lume ficou mais comportado: calças e tênis novos, cara limpa e nenhum apetrecho.

Os Karas

Dsenterginis dinis Enterbomberdaisômberlcaisinis: Tombersaisgenter! Inis chinisvomber ómber Minissaisufterr Cinisrtómbersaisdomberr.
Se você teve paciência para conseguiu ler o páragrafo acima, parabéns! Você conhece o Código Vermelho e o Código Tênis-Polar e sabe que os Karas chutam os rabos de Harry Potter, Ron Wesley e Hermione. Você também provavelmente deve ter utilizados os códigos supracitados em muitas mensagens que não quisesse que outros lessem, e com o tempo, assim como eu, deve ter passado a desenvolver seus próprios códigos (que seriam decodificados por qualquer um em 3 segundos).
Infelizmente minhas memórias da série são escassas e esparsas. Lembro, por exemplo, da leitura empolgante e cheia de suspense, da apaixonante Magri, da gaita do Crânio, do grande vilão Doutor Q. I. Apesar de "A droga da obediência" ter sido o livro dos Karas que eu li há mais tempo, é o que me deixou mais memórias impressas. Há uma cena em particular que acho que jamais esquecerei. Chumbinho, encurralado no banheiro da escola, prestes a ser seqüestrado, mostra que tem colhões e deixa um sinal para os Karas usando nada menos do que a merda de alguém encontrada num vaso sanitário. Chupa essa, Harry Potter!

Turma do Gordo

Desta série, infelizmente li apenas "O gênio do crime". Uma criança não precisava mais do que um livro que tratasse de um mistério envolvendo álbuns de figurinhas, criminosos perigosos, um grupo de amigos tentando resolver o caso por conta própria e uma solução genial: a famigerada perseguição ao avesso.

3 comentários:

Yuma Fan disse...

Cara muito bom esse seu post, me trouxe ótimas lembranças. A turma do Gordo foi o único que não li nenhum livro, talvez por já estar ficando um pouco mais velho.

lari disse...

Olá, adorei seu post. Eu só tenho 13 anos mas não gosto de harry potter adoro os livros da coleção vagalume e gosto muito de a droga da obediencia esses sim são livros legais.

anasantanoli disse...

Nooossa, a Droga da Obediência é um marco na minha infância assim como A Droga do Amor, Garra de Campeão, Os Barcos de Papel, O Desafio do Pantanal, O místério da Boneca, O Escaravelho do Diabo.... são tantas lembranças....